Voltas

As palavras fluem na minha cabeça mas param antes de sair dos meus lábios.
O que és tu que as fazes parar?
Não me mexo como antes,

Repenso e repito.
Ações, palavras, sentimentos,
Mas não sabem ao mesmo.

Ainda me surpreendo com a pequenês de tudo isto.
Prendo-me aos detalhes de cada página e reparo que me roubaram os pincéis.

Não me tento dar a entender,
mas faço-me de desentendida.
Não é mentir, pois não?

Tirei há pouco a maquilhagem que cobriu os meus traços durante toda a semana.
É uma máscara, 
Uma proteção.

Despiste-me de tudo e não me tocaste.
Não sei o que fazer com isso.
As minhas unhas não rasgaram a tua pele,
Não sentiste o meu externo contra o teu, mas de alguma forma sentiste o meu coração a funcionar.

Advertisements

One thought on “Voltas

  1. Suddenly the drunken sweetheart apeared out of my door.
    She drunk a cup of ruby wine and sat by my side!
    Seeing and holding the lockets of her hair,
    My face became all eyes, and my eyes all hands!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s