Fantasma na minha cabeça

Mesmo depois de tanto tempo,
a tua presença persegue-me,
assombra-me.
No entanto a curiosidade em encontrar-te e voltar a deitar tudo a perder novamente, persiste
independente do mal que me causaste.
Só queria voltar a olhar para ti e reconhecer todas as tuas expressões e gestos.
Apesar da tentativa de mudança,
continuo a mesma no interior,
a mesma que conheceste,
que tocaste,
que amaste,
que completaste, plenamente.
Estou mais forte,
defender-me-ia,
ou cairia outra vez e quebrava-me
deixando-te brincar com os cacos de “mim” outra vez.
Acho que ela tinha razão,
nós gostamos de viver na merda.
É uma necessidade que temos em comum.
Tenho pedaços de “ti”, em todo o lado.
Sinto-te em cada centimetro do meu corpo
e cada vez que me tocam, és tu quem sinto.
És um demónio, uma assombração.
“O” fantasma na minha cabeça…

Vai

Quero sentir-te.
A tua pele, a tua respiração em mim…
Penetra-me bem fundo, entra em mim e sente,
sente-me…Sente o meu corpo.
Toca-me, faz-me tremer…
Saboreia-me…
Domina-me, controla-me,
agora vou deixar que me tomes.
Prende-me com força e possui-me como se me fosses perder.
Ama-me, sem esperares que te ame.
Quero-te sentir,
percorrer o teu corpo com os meus dedos ao de leve,
dar-te arrepios…
Dar-te prazer…
Sê minha por este instante…
Adormece e deixa-me observar-te
ver a tua calma, o teu silêncio,
depois de te ter ouvido gritar, e gemer.
E depois vai!
Vai e deixa o teu perfume, a tua essência…